Eraserhead – Crítica


Este foi o filme de estreia de David Lynch que não só se tornou um filme de culto, mas que também deu um lugar de culto, quando se ouve, a partir daqui, falar do nome deste realizador. Saído da escola de cinema, David e os seus colegas fazem este filme independente que é um dos filmes mais difíceis de se ver, alguma vez concebido. E esta concepção não é por acaso. Lynch é uma pessoa que medita três vezes por dia, 20 minutinhos de cada vez e vai a sua vida. Reflecte-se no filme um inconsciente extremamente criativo. Dois produtores que tiveram oportunidade de confraternizar com David, disseram-lhe que Stanley Kubrik, quando lhes mostrou o seu filme preferido, lhes apresentou Eraserhead e que este lhe serviu de inspiração para Shinning.

Sendo uma obra de arte, não é qualquer pessoa que está pronta para vê-lo. Se eu tivesse visto este filme numa outra altura menos propícia da minha vida, eu não teria conseguido sequer ver até ao fim Eraserhead. Mas não só cheguei ao fim como “no céu tudo é perfeito”. E quando digo menos propícia, falo de um leque de vivências, experiências, conhecimentos estéticos, que presentes neste filme, Lynch nunca irá explicar. Depende da bagagem de cada um para o interpretar e não se admirem que eu diga isto nas próximas criticas aos filmes deste completo realizador. E eu considero Eraserhead mais uma experiência, do que apenas assistir a um filme. Uma maravilha cinematográfica. Tão inovadora que tem um estilo próprio chamado Lynchiano.

Não vale a pena tentar descrever este filme, seria como tentar decifrar uma obra de Picasso, Kandinsky ou qualquer outro autor abstracto. Não representa realidade concreta exterior, por isso não merece ser compreendido. Mas tirem cada um a sua interpretação, pois vão senti-lo completamente verdadeiro e integro, longe de uma grande produção.

9 é a nota final, redonda pois prefiro coloca-lo neste patamar que atribuir-lhe um invariável valor.

Anúncios

One thought on “Eraserhead – Crítica

  1. Esse filme é muito bom e totalmente sinistro. Faz a gente pensar.
    Eu tenho um canal que faz análises (pessoal) de filmes assim, e fiz uma vídeo analise de Eraserhead. Quem quiser conferir seria um prazer! Advirto que a interpretação é pessoal cada um tem a sua, o que podemos fazer é dialogar!

    E obrigado a este site que me ajudou muito com a resenha, um texto muito claro!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: